Archive for the Uncategorized Category

Terapia

Posted in Uncategorized on junho 17, 2009 by andregodoi

– Pô, tá foda de sair desse buraco.

-Então entra nele.

Anúncios

Epitáfio – I

Posted in Uncategorized with tags on abril 23, 2009 by andregodoi

Ninguém ri por último.

Loteria

Posted in Uncategorized on novembro 27, 2008 by andregodoi

A esperança ignora as estatísticas e nos transporta a lugares incríveis. Países remotos. Onde não precisamos mais trabalhar. Inventamos profissões exóticas. Prometemos continuarmos cidadãos simples e honestos. Quiçá nem parar de trabalhar. Seguir a rotina. Ra ra ra. Dividir com quem? Família, no máximo. Pega mal não ajudar parente. Passa a régua. A noite, antes de dormir, a esperança nos conta histórias de um mundo feito de aço e purpurina. Vitrola tocando Glam rock. E pegamos no sono felizes. E tudo isso por apenas R$ 1,75. Quase nada.

Biscoito da sorte

Posted in Uncategorized on novembro 25, 2008 by andregodoi

“O firme penetra ao centro do que é correto e sua vontade se cumpre.” – será que estão servindo comida chinesa em casas de swing agora? Vou ligar pra minha irmã e perguntar.

Por via da dúvidas, tô passando numa casa lotérica agora. Vai que.

35 – 57 – 21 – 25 -39 – 48

O amor.

Posted in Uncategorized on novembro 4, 2008 by andregodoi

Que seja eterno enquanto duro.

Posted in Uncategorized on maio 4, 2008 by andregodoi

Não existe palavra tão solitária quanto . Só duas letras, ou só três caso não ache o botão do acento. Aí fica soh. Aproveito a audiência para perguntar se alguém aí sabe o significado dessa palavra? Nunca experimentei. Dizem que estar só é tão pouquinho, mas tão pouquinho que você olha e se pergunta: só isso? Tenho muito medo de ser ou estar só, como se tem medo de desastres aéreos sem nunca ter participado de um. As músicas que falam da solidão de ser só são as mais tristes. Eu quase me sinto sozinho quando escuto Trocando em miúdos do Chico. Quer dizer, do Chico e do Francis Hime. Não deve ser possível falar da solidão estando só. Talvez seja preciso juntar várias solidões para descrever a palavra . Digo talvez pois, na verdade, estou chutando. Não entendo. Ela ficou com o resto. Ele só com um disco do Pixinguinha. Ou só, com um disco do Pixinguinha. E quando começo finalmente a entender, STOP, FFW, NEXT TRACK. Deixa pra amanhã. Amanhã talvez eu morra e fique sozinho, enterrado. Digo talvez pois, na verdade, estou chutando. Não entendo.

Terça, madrugada.

Posted in Uncategorized on abril 30, 2008 by andregodoi

Duas e vinte e cinco. O preço a ser pago. Caro preço. A madrugada é minha mulher. Vagabunda. No mesmo bar, no mesmo bar. Altos decibéis, teores alcoólicos idem.  Etílicos croquetes de carne com aipo. Dry martini. Mais um, mais um, mais um, o último, a saideira. A conta. Caro preço. Falido. No fundo do poço há sempre um último copo d’água. A saideira, por favor.